A Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM) tem uma longevidade e uma história sem paralelo a nível nacional, um feito só ao alcance de empresas que possuem uma grande capacidade de adaptação aos constantes desafios e transformações que se verificam no País e no mundo, ajustando permanentemente a sua estratégia e o seu posicionamento, de forma dar uma resposta célere e efetiva às necessidades dos seus clientes e parceiros.

O quadro estratégico da INCM assenta em sete orientações que reafirmam o posicionamento da empresa no mercado: o foco no cliente, na inovação, na internacionalização, na eficiência, no desenvolvimento dos colaboradores, na sustentabilidade e no reconhecimento da marca.

Em todos estes domínios a empresa registou avanços notáveis, com alterações profundas na sua organização e competências, tornando-se mais inovadora e focada no mercado, o que originou um reconhecimento crescente por todas as partes interessadas.

No último triénio, é possível destacar a inovação e a internacionalização como principais motores de desenvolvimento, que moldaram em grande medida a organização e a operação atual da empresa, tornando-a mais dinâmica, ágil e resiliente, conforme se pôde comprovar no contexto da recente pandemia, a qual condicionou de forma dramática o ambiente social e económico, mas que simultaneamente constituiu um fator acelerador da transição digital e ambiental.

Antecipando e projetando o ciclo que agora se inicia, acreditamos que todas as sete dimensões estratégicas acima identificadas continuam a ser válidas, mas a sua evolução será marcada por esta necessidade de acelerar a transição digital e ambiental. A INCM assumirá, como sempre, o seu papel essencial à sociedade e o seu contributo para a recuperação do País, assumindo-se como o parceiro-chave dos seus clientes e parceiros, em particular dos serviços da Administração Pública, quer participando ativamente na sua transformação digital, quer oferecendo novas soluções de segurança digital e física.

Assente nessas orientações estratégicas, a sustentabilidade da empresa, pautada pelo equilíbrio económico, ambiental e social, continuará a ser um compromisso com metas objetivas e plausíveis, designadamente, atingir a neutralidade carbónica em 2030, manter o investimento anual de 1% do volume de negócios em inovação, manter a afetação de um valor similar em ações de responsabilidade social e com uma intervenção muito presente na divulgação da língua e da cultura portuguesa, continuar a ser uma empresa de referência em matérias de igualdade de género e de conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal, e continuar a ser um agente ativo para o desenvolvimento económico, social e cultural do País.

Estamos convictos que este é o caminho a seguir, para que a INCM continue a ser uma empresa sólida, útil e de confiança aos olhos das pessoas, das empresas e das instituições, tanto em Portugal como no resto do mundo.


O Conselho de Administração da INCM, S. A.

Janeiro de 2022