• Foto 1 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    Foto 1 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    • Foto 2 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    Foto 2 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    • Foto 3 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    Foto 3 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    • Foto 4 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    Foto 4 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    • Foto 5 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I
    Foto 5 do produto Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I

Correspondência Luso-Brasileira - Das Invasões Francesas à Corte no Rio de Janeiro (1807-1821) - Vol. I

As 127 cartas que agora se publicam, sob o título genérico de Correspondência Luso-Brasileira, abrangendo o período compreendido entre 1807 e 1823, constituem uma importante fonte para o estudo de uma época crucial da história de Portugal e do Brasil. Trocadas entre membros das famílias Pinto da França e Garcez, estas cartas fornecem-nos uma visão inestimável dos grandes acontecimentos daquela época, que os seus autores testemunharam ou em que se empenharam activamente.
Neste 1.º volume, publicam-se 68 cartas, grande parte das quais dirigidas por Luís Paulino d'Oliveira Pinto da França ao seu sogro e aos cunhados da família Garcez. As primeiras cartas reportam-se à resistência às invasões francesas, nas quais Luís Paulino assumiu um papel de relevo. Com a sua chegada ao Brasil em 1813, segue-se um importante conjunto de cartas relativas à vida na corte do Rio de Janeiro. As festas palacianas, as intrigas políticas e o jogo de influências perpassam por esta correspondência, de mistura com os primeiros sinais de mudança, materializados com a revolta de Pernambuco em 1817. As últimas cartas são datadas da Bahia, onde Luís Paulino residia quando ocorreu a revolução liberal do Porto em 1820, que veio a ser secundada em Salvador e no Rio de Janeiro, desencadeando um processo de transformações políticas em que esta família, distribuída pelos dois lados do Atlântico, se verá envolvida.

Observações: Os Volumes Correspondência Luso-Brasileira I e II cujos PVP são respectivamente 26,00 Euros e 24,00 Euros, quando adquiridos em conjunto serão vendidos por 45,00 Euros em vez de 50,00 Euros, beneficiando de um desconto de 10%.

Prefácio de António d'Oliveira Pinto da França.
Introdução de António M. Monteiro Cardoso.

Imagem maximizada

fechar [X]