• Foto 1 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    Foto 1 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    • Foto 2 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    Foto 2 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    • Foto 3 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    Foto 3 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    • Foto 4 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    Foto 4 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    • Foto 5 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa
    Foto 5 do produto Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa

Estudos das zonas ou unidades urbanas de carácter histórico-artístico em Lisboa

O Estudo que José-Augusto França realizou em 1967, por convite do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), António Vitorino da França Borges, encontra-se arquivado no processo privativo 1.1.8/1.ª/0/70. Este processo inclui também documentação referente à Proposta para a Salvaguarda do Património Artístico Arquitectónico e Histórico dos Bairros Tradicionais da Cidade de Lisboa, a análise ao Estudo efectuada pelos serviços de urbanismo (à data a 1.ª Repartição — Planeamento) e o Inventário de Monumentos Municipais, encomendado pela CML a Gustavo de Matos Sequeira em 1950.

O Estudo foi executado entre Maio e Dezembro de 1967 e é constituído por:
— um documento escrito estruturado em 4 partes;
— 36 plantas de diferentes escalas (1:25000, 1:10000, 1:5000 e 1:2000) e 6 desenhos;
— um levantamento fotográfico composto por 292 imagens, realizado no início de 1968 por Armando Serôdio, cujos negativos se encontram no Arquivo Fotográfico da CML.

Na versão editada que aqui se apresenta, o texto do Estudo é reproduzido na íntegra, sendo da responsabilidade da coordenação editorial as notas de rodapé e toda a informação colocada entre parêntesis rectos. As plantas foram refeitas em ArcGis sobre a mesma cartografia utilizada no Estudo (Levantamento Cartográfico de 1950, Instituto Geográfico e Cadastral) e os alçados pombalinos foram redesenhados em CAD.

Foi opção editorial conjugar o texto com as peças desenhadas e as fotografias, situação que não se verifica no documento original. No final da publicação é apresentada uma reprodução da Proposta para Salvaguarda do Património Artístico Arquitectónico e Histórico dos Bairros Tradicionais da Cidade de Lisboa, documento que o Estudo de José-Augusto França ajudou a fundamentar.

Rita Mégre e Hélia Silva

Imagem maximizada

fechar [X]