• Foto 1 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    Foto 1 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    • Foto 2 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    Foto 2 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    • Foto 3 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    Foto 3 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    • Foto 4 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    Foto 4 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    • Foto 5 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida
    Foto 5 do produto Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida

Alexandre Serpa Pinto - O Sonhador da África Perdida

Serpa Pinto era um espírito indomável. Quando era novo, brincava com as espadas que ajudava o pai forjar. Mais tarde, foi expulso da Universidade de Coimbra por desacatos com um professor. Nem a tropa o acalmou. O seu desejo de aventura só ficaria saciado com as várias expedições a África, na companhia de um papagaio e uma cabra, num tempo de colonialismo, mapas cor-de-rosa e ultimatos.
África — cujas riquezas estavam a ser exploradas e repartidas pelas potências europeias — fascinava-o mais a ele, como uma terra de mistério, aventura e sonho.
«Houve um homem que atravessou África a pé com um papagaio ao ombro e uma cabra ao lado. Não era uma pessoa comum, pois as pessoas comuns não costumam atravessar a pé a África (ou qualquer outro continente) acompanhados de uma cabra e de um papagaio. Mas também não era nenhum tonto. Quando muito, era um ‘grande maluco’, e isto é um elogio.»

Observações: Ilustrações de Filipe Abranches

Imagem maximizada

fechar [X]