• Foto 1 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    Foto 1 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    • Foto 2 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    Foto 2 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    • Foto 3 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    Foto 3 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    • Foto 4 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    Foto 4 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    • Foto 5 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível
    Foto 5 do produto Almada Negreiros - Um Percurso Possível

Almada Negreiros - Um Percurso Possível

«É muito forte a ligação de Almada Negreiros a Lisboa.
A partir de 1910, produz frescos, vitrais, tapeçarias, azulejos, murais em grandes edifícios, como as duas gares marítimas, todos marcados por um inconfundível traço de virtuosismo e um sentido exato da presença teatral das figuras. Projeta também decorações para casas de habitação, interpretando o espírito do Modernismo enquanto modo de tornar próximo e arejado o que era pesado e académico. E termina em 1970, no átrio principal da Fundação Gulbenkian, com a obra-prima que se chama Começar.
Eis, pois, um roteiro que é uma aventura pelas ruas de Lisboa e pela história da grande arte moderna do século XX português, nos passos de Almada Negreiros.»

Observações: Coordenação de Rita Almada Negreiros.
Edição bilingue (português e inglês).

Imagem maximizada

fechar [X]