• Foto 1 do produto O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)
    Foto 1 do produto O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)
    • Foto 2 do produto O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)
    Foto 2 do produto O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)
    • Foto 3 do produto O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)
    Foto 3 do produto O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)

O Essencial sobre a Ballets Russes em Lisboa (Nº 133)

«A permanência dos Bailados Russos em Lisboa entre dezembro de 1917 e março de 1918 coincidiu com um dos períodos mais sombrios da sua história: em plena Primeira Guerra Mundial não havia espaço de manobra para a apresentação dos espetáculos da trupe russa na maior parte dos palcos da Europa. Os espetáculos na capital portuguesa ocorreram em condições difíceis: o golpe de Estado de Sidónio Pais e a consequente instabilidade política na capital fizeram adiar a estreia nacional e o público não estaria na melhor disposição para os acolher. No final da temporada lisboeta, a falta de contratos internacionais fez com que a companhia fosse forçada a arrastar a sua permanência em Lisboa, subsistindo em circunstâncias adversas.»

Imagem maximizada

fechar [X]