• Foto 1 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    Foto 1 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    • Foto 2 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    Foto 2 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    • Foto 3 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    Foto 3 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    • Foto 4 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    Foto 4 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    • Foto 5 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República
    Foto 5 do produto Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República

Manuel de Arriaga (1840-1917). Ao Serviço da República

O presente livro centra-se na vida e obra de Manuel de Arriaga, primeiro Presidente da República Portuguesa. Oriundo de uma família aristocrata faialense, formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, onde se revelou um aluno brilhante e um orador notável. Membro da geração de 70, adere aos ideais republicanos e intervém desde muito cedo na vida política e cultural do país, estando na origem da criação dos seus primeiros centros, em 1882.
Nesse mesmo ano, foi eleito deputado pelo círculo do Funchal e em 1890 pelo círculo de Lisboa distinguindo-se no parlamento pela pertinência das suas intervenções e decisões. Foi um dos autores do programa do Partido Republicano Português (PRP) que tinha por objeto servir de base à unificação de todos os centros republicanos. Após a implantação da República foi nomeado para o cargo de reitor da Universidade de Coimbra (18 outubro) e pouco tempo depois para o de Procurador-Geral da República (31 outubro).
Eleito Presidente da República Portuguesa em 2 de agosto de 1911, exerceu o mandato num período conturbado da vida nacional e internacional. Renunciou ao mesmo em 26 de maio de 1915, abandonando definitivamente a vida política. Faleceu em Lisboa a 5 de março de 1917 e está sepultado no Panteão Nacional desde 2003.

Observações: Bilingue (português/inglês)

Imagem maximizada

fechar [X]