Fernando Lemos na Biblioteca da Imprensa Nacional durante a apresentação do volume Ph. 04
Fernando Lemos na Biblioteca da Imprensa Nacional durante a apresentação do volume Ph. 04

Até sempre Fernando Lemos (1926-2019)

18 de dezembro de 2019

A INCM lamenta a morte do multifacetado artista Fernando Lemos, um nome incontornável do chamado Surrealismo português, e expressa sentidas condolências a todos os seus familiares, amigos e admiradores.

Tivemos a honra de o receber na nossa biblioteca em junho deste ano, por ocasião do lançamento do livro da Série Ph. dedicado à sua obra fotográfica, e de poder editar o catálogo da exposição organizada pelo MUDE dedicada ao seu trabalho enquanto designer gráfico.

Recorde-se que Fernando Lemos nasceu em Lisboa em 1926 e fixou residência no Brasil em 1953. Desenvolveu uma atividade multifacetada, entre a fotografia, a pintura, o desenho, a tapeçaria, o design (gráfico e industrial) e também a escrita. É uma das maiores referências na afirmação do Surrealismo português (aliás dedica o volume Ph. 04 ao amigo, também surrealista, José-Augusto França). Está representado em diversas coleções nacionais e internacionais e realizou com regularidade exposições individuais e coletivas. Fixou no efémero retrato do tempo rostos como o de Alexandre O’Neill, Sophia Mello Breyner, Jorge de Sena, Mário Cesariny, Helena Vieira da Silva, Hilda Hilst, Arpad Szenes, e tantos outros.

Em 2018, o Estado português atribuiu-lhe o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, a que se somam inúmeras distinções, prémios nacionais e internacionais.

Imagem maximizada

fechar [X]