Prémio visa distinguir trabalhos que reforcem os diferentes estilos da imprensa, contribuindo para uma sociedade mais informada
Prémio visa distinguir trabalhos que reforcem os diferentes estilos da imprensa, contribuindo para uma sociedade mais informada

Isabel Lucas vence 1.ª edição do Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva

8 de setembro de 2021

A jornalista Isabel Lucas assina o texto Estados Unidos da América, crónica de uma (des)união, vencedor da 1.ª edição do Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva, promovido pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM). O artigo vencedor, publicado na edição de 18 de outubro de 2020 do jornal Público, parte da leitura de vários textos, cruzamento de opiniões, análise de jornais e de um conhecimento do território para, de acordo com a autora, “indagar que país era esse que ia a votos numa altura dramática”.

A grande qualidade dos trabalhos jornalísticos apresentados a concurso (num total de 52) levou o júri do Prémio, composto por Nicolau Santos, presidente do Conselho de Administração da RTP, Manuel Carvalho, diretor do jornal Público, João Vieira Pereira, diretor do jornal Expresso, Teresa de Sousa, jornalista do Público, e Daniela Santo, jornalista reformada da RDP Madeira, a atribuir duas menções honrosas: Voltar a Marchar, uma reportagem da autoria de Raquel Moleiro e de Tiago Miranda, e Luanda Leaks. Como Isabel dos Santos desviou mais de 100 milhões de dolares da Sonangol para o Dubai, uma peça de investigação assinada por Micael Pereira e Luís Garriapa.

O Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva visa distinguir trabalhos que reforcem os diferentes estilos da imprensa escrita, seja através da investigação, da reportagem ou da análise, contribuindo para uma sociedade mais informada e atribuindo uma bolsa de investigação jornalística no valor de 5000 euros. Visa ainda prestar homenagem a Vicente Jorge Silva, figura de destaque no jornalismo português das últimas décadas, que nos deixou no dia 8 de setembro de 2020, há precisamente um ano.

Gonçalo Caseiro, presidente do Conselho de Administração da INCM, sublinha que “contribuir para homenagear um ícone da comunicação social livre e bem-pensante que marcou um sem número de textos publicados, antes e depois do 25 de Abril, tornando-se uma personalidade ativa na defesa do jornalismo e da liberdade de expressão enquanto pilares da nossa cultura é, mais do que um propósito, uma missão da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, que tem acompanhado e documentado a construção da democracia portuguesa. O número e a qualidade das candidaturas a esta primeira edição do Prémio demonstram que o rigor, o pluralismo e a liberdade de informação são fundamentais nesta construção e um desígnio que queremos prosseguir no futuro”.

A cerimónia de entrega do Prémio vai ter lugar na Sala Carlos Paredes da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), no dia 15 de setembro, pelas 18 horas, e contará com a presença de Graça Fonseca, Ministra da Cultura, de José Jorge Letria, presidente da SPA, de Nicolau Santos, presidente do júri, de Gonçalo Caseiro, presidente da INCM, de Henrique Cayatte, designer, e de Jorge Wemans, jornalista, bem como da vencedora da presente edição, a jornalista Isabel Lucas.

O evento poderá ser acompanhado em streaming através do site do Prémio em: premiovicentejorgesilva.pt

Imagem maximizada

fechar [X]